A pandemia teve um impacto significativo na indústria da música em todo o mundo, com a maioria dos eventos sendo cancelados ou adiados. Em Portugal, a situação não foi diferente. Com a proibição de grandes eventos e concertos, muitos músicos e empresas de música foram forçados a fechar suas portas. O impacto econômico foi enorme, com muitos artistas perdendo suas principais fontes de renda.

Foi nesse contexto que surgiu o prato 18 crash, uma iniciativa para reunir músicos e empresas de música em Portugal para discutir a situação atual e futura da indústria da música. O evento, que foi realizado em formato online, contou com a participação de diversos especialistas e músicos conhecidos em Portugal.

Um dos principais temas discutidos no prato 18 crash foi a questão dos eventos cancelados. Com a maioria dos concertos e festivais sendo cancelados, muitos músicos perderam a oportunidade de tocar e ganhar exposição. Além disso, empresas de música que se baseavam na organização de eventos foram prejudicadas com a falta de receita.

Outro tema discutido no evento foi a questão da monetização da música em tempos de pandemia. Com a maioria dos eventos sendo cancelados, muitos músicos e empresas de música passaram a se concentrar na monetização de seus trabalhos online. Esse processo nem sempre é fácil, mas é fundamental para a sobrevivência da indústria da música em um momento tão difícil.

Com o prato 18 crash, a indústria da música em Portugal ganhou uma plataforma importante para discutir os desafios atuais e futuros. O evento mostrou que a solidariedade entre os músicos e empresas de música é fundamental para superar esse momento difícil. Outros eventos como esse deveriam ser realizados, para que a indústria da música em Portugal possa aprender com as experiências de outros países e encontrar soluções inovadoras para os desafios que enfrenta.

Em suma, o prato 18 crash é uma iniciativa importante para a indústria da música em Portugal, que precisa se reinventar e encontrar novas maneiras de se adaptar às mudanças trazidas pela pandemia. É importante que músicos e empresas de música se unam e trabalhem juntos para tornar a indústria da música em Portugal mais forte e resistente em tempos difíceis.